Top PDF Representações de professores sobre a interacção leitura-escrita

Representações de professores sobre a interacção leitura-escrita

Representações de professores sobre a interacção leitura-escrita

Tendo  em  conta  a  análise  dos  dados  recolhidos,  no  que  concerne  às  representações sobre a leitura, podemos concluir que persiste a ideia pessimista de que  os  alunos  lêem  cada  vez  menos.  Pensamos  que  muito  do  negativismo  dos  professores  inquiridos no nosso estudo derivava de terem uma perspectiva um tanto restrita acerca  do  que  seriam  leituras  aceitáveis.  De  um  modo  geral,  a  escola  valoriza  quase  exclusivamente  o  livro  impresso,  ignorando  suportes  menos  tradicionais  que  também  permitem  a  leitura  e  que  os  alunos  utilizam  na  vida  quotidiana:  por  exemplo,  jornais,  revistas,  a  internet  e  mensagens  recebidas  por  correio  electrónico  ou  telemóvel.  A  propósito  desta  reflexão,  podemos  ainda  referir  que  a  escola  promove  quase  exclusivamente  a  leitura  de  textos  literários,  cujo  suporte  é  o  livro,  em  detrimento  dos  textos não literários, que podem surgir neste ou noutros suportes. 
Show more

99 Read more

Infância e criança : um estudo em representações sociais com professores de centros de educação da primeira infância – CEPIs / DF

Infância e criança : um estudo em representações sociais com professores de centros de educação da primeira infância – CEPIs / DF

INTRODUÇÃO A investigação, por meio da análise das representações de professores sobre infância e criança, é objeto de estudo relativamente novo, que vem objetivando entender o complexo e multifacetado processo de construção social da infância, o lugar da criança e o papel que a escola vem desempenhando diante da “dimensão simbólica nas culturas da infância”. (SARMENTO, 2002, p. 3). Pesquisas em relação ao estudo da infância e da criança nos espaços educativos vêm ganhando um lugar significativo no cenário acadêmico. Contudo, segundo Corsaro (2011), as Ciências Sociais e Humanas tardaram em focar a criança e a infância como objetos centrais de suas pesquisas. O tempo alongou-se ainda mais em relação a sinalizar nas pesquisas e em suas análises as relações entre infância, criança, escola e sociedade, entendendo a criança como sujeito histórico e partícipe da dinâmica social, tendo como eixo de suas investigações o registro das representações sociais dos adultos imersos no cotidiano com os pequenos (sujeitos da infância). Essa imersão no cotidiano com professores e suas representações e a percepção por uma emergência acerca da construção social da infância, ajudam no movimento desse caminho teórico metodológico.
Show more

114 Read more

Percepção de pais e professores de pré escolares sobre o desenvolvimento de linguagem infantil

Percepção de pais e professores de pré escolares sobre o desenvolvimento de linguagem infantil

com riscos para alterações de linguagem, o que mostra a importância de que os professores sejam instrumentalizados ao longo de sua formação e também, durante sua atuação em sala de aula, a fim de que possam auxiliar seus alunos neste processo.A esse respeito, Maranhão, Pinto, e Pedruzzi (2009) referem em seu estudo que 57,5% das respostas apresentadas pelas participantes foram afirmativas sobre terem recebido informações a respeito da aquisição de linguagem, o que é preocupante segundo os autores, pois 42,5% das professoras não tinham conhecimento sobre o tema. Este dado é preocupante, uma vez que ao longo da educação infantil é comum a ocorrência de queixas quanto a aquisição e o desenvolvimento da linguagem, assim a identificação precoce de taisdificuldades, seguidos de orientação e intervenção, são importantes para o desenvolvimento da criança (Cardoso, Alves, Rocha, & Queiroz, 2015). Além disso, se faz necessário que as profissionais que atuam na educação infantil tenham conhecimento a respeito da aquisição de linguagem, tendo em vista que quando instrumentalizadas as educadoras, podem orientar os pais e até encaminhar a criança ao profissional fonoaudiólogo, minimizando assim as dificuldades no processo de aquisição e desenvolvimento de linguagem oral e de habilidades futuras, como por exemplo, da leitura e da escrita. Por fim, ao perguntarmos ao grupo participante sobre as atividades que poderiam ser realizadas em ambiente familiar e escolar que favoreceriam o desenvolvimento da linguagem, pais e professoras citaram que o ato de conversar com a criança seria positivo. A interação verbal com os adultos permite à criança ter acesso aos sons e estrutura de sua língua materna, além de ser uma forma de transmitir conceitos, conteúdos e regras, uma vez que insere a criança em sua cultura e códigos sociais (Veloso et al., 2018).
Show more

5 Read more

Investigando representações da presidenta Dilma Rousseff e do vice-presidente Michel Temer em capas de revistas nacionais sobre o impeachment

Investigando representações da presidenta Dilma Rousseff e do vice-presidente Michel Temer em capas de revistas nacionais sobre o impeachment

tica da Comunicação, afirma que o que vivemos não pode ser considerado como uma “era de informação”, pois informação seria tudo aquilo que reduz incertezas, e o que se vê atualmente é o oposto. Diante desse contexto, a Análise Crítica do Discurso (ACD) assu- me, então, o difícil papel (principalmente em tempos de “pós-verdade”) 3 de refletir sobre as narrativas e de compreender que elas estão a todo momento sendo construídas e disseminadas (com base ou não em fatos). Analisar criticamente passa por retirar o véu das palavras (e das ima- gens), bem como perceber as vozes e intenções que ecoam no discurso. Quanto ao texto verbal, na Figura 1, devemos dar atenção especial para as afirmações listadas do lado direito da capa (informações novas a se- rem apresentadas, em termos composicionais), tais como: “Por que é falsa a guerra entre Dilma Rousseff e Eduardo Cunha”. Segundo a publicação, Edu- ardo Cunha teria afirmado que o governo tentou até o último minuto um acordo para salvar a presidenta do impeachment. Existe aqui uma tentativa de modificar o discurso predominante na época, que colocava Cunha e Dilma como antagonistas e afirmava que a abertura do processo de impeachment ha- via sido realizada como uma espécie de vingança, pois o mesmo haveria sido “traído” pelo governo ao não ser “blindado” contra a operação Lava-Jato.
Show more

28 Read more

Processo de formação inicial de professores de português em Angola

Processo de formação inicial de professores de português em Angola

De um ponto de vista mais específico e adotando-se o “olhar” do supervisor e/ou do professor-tutor, que nem sempre possuem formação específica para a disciplina que lecionam (“A tous les niveaux, un nombre significatif des professeurs ne sont pas qualifiés pour les postes qu‟ils occupent (...)”, UNESCO – BIE, 2010), nem têm acesso a outros documentos para além dos reguladores, pode concluir-se que a estrutura da formação inicial foi delineada, de acordo com as orientações internacionais para a formação de professores. Contudo, carece que se aprofundem determinadas secções, nomeadamente, no que diz respeito à definição dos perfis de entrada dos alunos nas EFP. Esta definição poderia contribuir para um ajustamento do currículo e ou dos programas das disciplinas ao público-alvo daquelas escolas de formação, pois, como evidenciam os documentos analisados, muitos dos alunos que frequentam o sub-sistema de formação já lecionam noutros níveis de ensino, o que poderá contribuir para o nível de motivação menor, por parte destes alunos-professores e para o sucesso da Reforma Educativa, já que como aponta Pacheco (2001: 165)
Show more

159 Read more

Sobre modelos de rearranjo de genomas

Sobre modelos de rearranjo de genomas

Vários modelos matemáticos de rearranjo de genomas foram propostos ao longo dos últimos vinte anos. Nesta tese, desenvolvemos dois novos modelos. O primeiro foi proposto como uma definição alternativa ao conceito de distância de breakpoint. Essa distância é uma das mais simples medidas de rearranjo, mas ainda não há um consenso quanto à sua definição para o caso de genomas multi-cromossomais. Pevzner e Tesler deram uma definição em 2003 e Tannier et al. a definiram de forma diferente em 2008. Nesta tese, nós desenvolvemos uma outra alternativa, chamada de single-cut-or-join (SCJ). Nós mostramos que, no modelo SCJ, além da distância, vários problemas clássicos de rearranjo, como a mediana de rearranjo, genome halving e pequena parcimônia são fáceis, e apresentamos algoritmos polinomiais para eles.
Show more

104 Read more

O CONSTRUTIVISMO DE MAX WEBER: Uma leitura a partir de Ian Hacking

O CONSTRUTIVISMO DE MAX WEBER: Uma leitura a partir de Ian Hacking

CONSIDERAÇÕES FINAIS Antes de finalizarmos, faço aqui uma rápida retomada do trabalho. No primeiro capítulo apresentei o que entendo ser o Realismo científico, o Antirrealismo científico, o Construtivismo. Além disso mostrei, seguindo a argumentação de Ian Hacking, que as questões sobre o Construtivismo não são necessariamente questões sobre os dois primeiros conceitos. Assim, podemos falar sobre o construtivismo de Max Weber, sem nos perguntarmos sobre seu possível realismo/antirrealismo, que, como vimos na introdução, são perguntas muito delicadas, recomendáveis somente a especialistas. Depois, no segundo capítulo, contextualizei algumas discussões de Weber em relação à Methodenstreit, e apresentei de forma rápida alguns aspectos da filosofia de Heinrich Rickert que julguei relevantes. No terceiro capítulo, apresentei rapidamente a sociologia interpretativa-explicativa de Weber, mostrando sua conexão com algumas teses de Rickert e tentei elucidar seu conceito de tipo ideal segundo o conceito de modelos científicos. Assim, espero ter mostrado que tipos ideais são tanto conceitos específicos das ciências humanas, por terem relação com valores, quanto modelos que exibem caráter nomológicos. Seguidamente, discorri sobre os argumentos de Weber sobre a neutralidade axiológica e sobre a objetividade do conhecimento nas ciências sociais, fazendo referencia aos conceitos de Forma de conhecimento e Conteúdo do conhecimento de Ian Hacking. Espero ter esclarecido as semelhanças que julgo haver entre ambos. No final, apresentei alguns problemas dos argumentos de Weber, apontados por Guy Oakes.
Show more

68 Read more

A emergência da leitura em crianças no jardim de infância

A emergência da leitura em crianças no jardim de infância

46 conhecimentos pré existentes. Assim, e observando os Pilares da Educação para o século XXI de Delors (1998), um profissional de educação deve aprender a conhecer, isto é adquirir os instrumentos da compreensão; aprender a fazer, para poder agir sobre o meio envolvente; aprender a viver juntos, a fim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas; finalmente aprender a ser, via essencial que integra as três precedentes (p. 90) A atividade de educador de infância é uma atividade relacional com outros profissionais de educação e com outras pessoas (Sarmento, 2009). Segundo a mesma autora, as educadoras, devido aos agrupamentos verticais, têm no contexto público a possibilidade de poder interagir com profissionais de outros ciclos educativos e, numa relação horizontal, interagir com as educadoras do mesmo agrupamento, realizando-se partilhas e tomadas de decisão.
Show more

88 Read more

Representações culturais no livro didático de Língua Estrangeira (Espanhol)

Representações culturais no livro didático de Língua Estrangeira (Espanhol)

RESUMO Devido ao atravessamento de fronteiras, a integração entre comunidades e suas culturas, os quais constituem o momento contemporâneo, observamos que a focalização de determinados aspectos culturais no ensino de língua estrangeira assume um lugar importante no processo de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, esta pesquisa tem como objetivo investigar as representações culturais que emergem dos conteúdos culturais propostos no livro didático (LD) de espanhol, bem como verificar os conceitos de cultura subjacentes ou implícitos no LD. O referencial teórico utilizado para realizar esta investigação respalda-se nos estudos sobre língua e cultura (ALMEIDA FILHO, 1997 [2002]; BROWN, 2001; CORTAZZI E JIN, 1999; KRAMSCH, 1993 [1998]), por considerar que ao ensinar uma LE, ensina-se, amalgamados a esta, valores culturais, visto que as palavras adquirem sentido apenas quando proferidas dentro de determinado contexto social regido por normas culturais. Dessa forma, foram inseridos neste trabalho estudos sobre representação (MOORE, 2008; HALL, 1997 [2000]), estereótipos (BROWN, 1980; PEREIRA, 2002), e livro didático (BOLOGNINI, 1991; CONSOLO, 1992; CORACINI, 2011; HUTCHINSON E TORRES, 1994; PEREIRA, 2005); TÍLIO, 2006 [2012]), entre outros. Foi escolhido para objeto de estudo um LD direcionado para alunos brasileiros do ensino médio, um dos três títulos indicados pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) através do Programa Nacional do Livro para o Ensino Médio (PNLEM). Para realização desta pesquisa, adotou-se o paradigma qualitativo (CHIZZOTTI, 2006; DENZIN e LINCOLN, 2006; MOURA FILHO, 2000), de caráter interpretativista (CELANI, 2005; MOITA LOPES, 1994). Foram observados ainda pressupostos da pesquisa documental (CELLARD, 2008; GIL, 2002; GODOY, 1995; LÜDKE e ANDRÉ, 1986; OLIVEIRA, 2007). Na análise, foi apurada a presença de diversos aspectos culturais, que de modo geral, indicam uma tentativa de referência às concepções contemporâneas de cultura. Entretanto, o resultado desta pesquisa denota que não há uma proposta de reflexão aprofundada sobre a questão no LD, que seja capaz de provocar no aluno uma consciência crítica e reflexiva a respeito da língua e cultura do Outro.
Show more

91 Read more

Formação contínua de professores em contexto

Formação contínua de professores em contexto

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias –Faculdade de Educação Física e Desporto 32 “vaivém entre a teoria e uma prática que a interpreta, a desafia, a interroga e, por isso, também a fecunda e a faz desenvolver” (Formosinho & Machado, 2007, p.77). Para Formosinho (2009), as tendências actuais da formação contínua têm como principais preocupações a formação centrada na escola e nos professores, aproximando estas preocupações com o seu desenvolvimento profissional. Também Ferreira (2009) defende “uma perspectiva de formação contínua em contexto, em que as práticas formativas se articulem com as situações de trabalho e os quotidianos profissionais, organizacionais e comunitários das escolas” (Ferreira, 2009, p.329). A formação contínua de professores em contexto apresenta-se como uma alternativa aos modelos «escolarizados», onde o professor é visto somente em termos instrumentais ou como meio de transmissão de conteúdos curriculares, passando a «sujeito» activo no seu processo de formação, “integrando diferentes vivências experienciais, apropriando-se das influências externas que sobre si são exercidas, reflectindo sobre o seu próprio percurso” (Canário, 1997, p.15).
Show more

78 Read more

Formação e desenvolvimento de coleções do Gabinete de Leitura de Maruim : (1877-1900)

Formação e desenvolvimento de coleções do Gabinete de Leitura de Maruim : (1877-1900)

linhas dedicadas à sua memória, exaltando-lhe os méritos de filólogo, literato e pedagogo, disse ter ele deixado reputação firmada em vários estabelecimentos de instrução e no seu arquivo precioso algumas obras inéditas de inestimável valor. Escreveu: Modo de medir as Odes de Horácio. Bahia, 1879, 42 págs. in. 12º. Imprensa Econômica; Lélio ou Tratado sobre a amizade por M. F. Cícero. Vertido do latim para português. Rio de Janeiro, 1888, XXI – 108 págs. in. 12º. Tipografia e Litografia de Carlos Gaspar da Silva. Era então o Autor professor no colégio Abílio, de Barbacena;– Resumo da gramática portuguesa. (Pontos de português segundo o novo programa). Rio de Janeiro, 1888, 104 págs. in. 16º. Na livraria de J. J. de Azevedo, editor; Discurso de M. T. Cícero em favor de M. Marcelo. Trad. do latim. Rio de Janeiro, 1905. 38 págs. in. 16º. Tip. Lit.Malafaia Júnior;Mundo infantil. Curso de leitura para meninas. Versão portuguesa do Picolo Mondo de Edmundo d’Amicis. Porto Alegre, 1907, 276-II, in. 12º. Editores Souza& Barros (GUARANÁ, 1925).
Show more

69 Read more

Reconhecimento de ações em vídeos baseado na fusão de representações de ritmos visuais

Reconhecimento de ações em vídeos baseado na fusão de representações de ritmos visuais

Figure 3.7: Visual rhythm image crops from DogCentric data set, “Play with Ball” class, using horizontal zigzag.. The samples display similar patterns, but in a much higher frequency and[r]

90 Read more

O imaginário de Antonio Carlos Jobim : representações e discursos

O imaginário de Antonio Carlos Jobim : representações e discursos

“coadjuvante”. Apesar de Jobim não fazer alusões diretas. Sabe-se que Jobim era um grande admirador do escritor, Guimarães Rosa tanto que dedicou o álbum Matita Perê, em homenagem a Rosa, a Carlos Drummond de Andrade e a Mário Palmério. Para o poeta Affonso Romano Sant’Anna, Rosa e Palmério unem “o primitivo, o mítico e o mágico da terra”.(46), e lembra, na mesma passagem, que “[...] Jobim teria conferido os cantos de pássaros de várias narrativas de Rosa, recriando nos instrumentos os sons naturais que o romântico fixou foneticamente”. A qualidade rosiana presente nos versos ônticos de Jobim de “Águas de março” pode ser comparada em “Jardim fechado”: “Psiu, não lhe dê nome. Sem nome, você poderá sentir sempre mais, quem ele, é...” (11). Ou em “tem um pé de rosa: rosinha cor de rosa, que se desfolha à toa, mas de longe você já sente o cheiro. Tudo que é casa tem essa rosinha [...]. roseira própria para chamar abelhas” (31), que está presente na crônica “O Riachinho Sirimim”. Assim é que vemos dois mundos contíguos, o de Rosa na literatura e o de Jobim na música, eternizados nas canções “Chovendo na roseira” e “Águas de março”.
Show more

220 Read more

Facilidades versus dificuldades para amamentar: representações sociais de Puérperas

Facilidades versus dificuldades para amamentar: representações sociais de Puérperas

O leite materno está ligado à proteção da saúde da criança, por ser essencial para o crescimento e desenvolvimento, especialmente nos primeiros seis meses de vida. Amamentar auxilia na promoção da saúde infantil, pois o leite materno tem forte atuação na prevenção de doenças e redução da mortalidade infantil. Os nutrientes compostos conseguem suprir todas as necessidades dos lactentes até o sexto mês de vida, sendo dispensado a ingesta de outros alimentos, água e chá. Além de trazer inúmeras vantagens biológicas, também proporciona benefícios nas áreas afetivas, psicológicas e sociais, sendo necessário um investimento maior na promoção, proteção e apoio desta prática (BRASIL, 2015; LACERDA; SANTOS, 2013). Estudos apontam que a criação do vínculo e toque de afeto entre mãe e filho, além de ser algo natural, acontece de forma espontânea, auxiliando na qualidade de vida de todos os envolvidos no processo de lactação, o que favorece o aumento da duração do aleitamento materno. A amamentação ativa um sentimento de ligação com o filho, pois a criança quando amamentada sente-se mais segura, por estar em contato materno. É um dos momentos mais importante entre mãe e filho(a), pois estabelece troca de carinho, maestria, afeição e devoção. Para as mães é difícil explicar os sentimentos vivenciados no momento da amamentação, a troca de olhares, o toque afetivo é algo que fortalece a relação entre eles, promove o vínculo afetivo e aguça a intuição de amor e segurança. Este contato físico estabelecido com o RN propicia a interação e contribui para a saúde (BYSTROVA et al., 2009; CARRASCOZA et al. 2011; CAIRES et al., 2011; ROSA; DELGADO, 2017).
Show more

7 Read more

Representações do vinho em ambiente de tradução: abordagem cognitiva

Representações do vinho em ambiente de tradução: abordagem cognitiva

É de registar que a experiência física se encontra articulada com a experiência cultural e social sendo que o processo de conceptualização nos seus diversos planos tem por base os esquemas imagéticos, padrões abstratos da experiência física. (ALMEIDA, 1999: 62-64). Um dos esquemas mais relevantes é o esquema do contentor, baseado na experiência do nosso corpo como um espaço restrito, delimitado do exterior. Lakoff & Johnson (1987) afirmam que experienciamos constantemente os nossos corpos quer como contentores, quer como elementos circunscritos espacialmente a contentores. 5 (LAKOFF & JOHNSON, 1987: 272) (Tradução minha). Refira-se, então, que a terminologia vinícola também é cunhada na base dos esquemas imagéticos, como veremos mais adiante, que derivam da interação com o mundo. 6 Portanto, as representações terminológicas no domínio especializado dos vinhos, fortemente influenciadas pela terminologia francesa, são histórico- culturalmente motivadas pelo facto, de há muitos anos, a França ter liderado este segmento de atividade de produção agrícola e, consequentemente, a cunhagem de um considerável acervo terminológico.
Show more

158 Read more

Teach for America e sua paradoxal iniciativa sobre diversidade: Raça, política, e o deslocamento de professores negros nas escolas urbanas

Teach for America e sua paradoxal iniciativa sobre diversidade: Raça, política, e o deslocamento de professores negros nas escolas urbanas

Despite national calls for diversity, thousands of Black educators have been displaced from urban public schools in the past decade (ASI, 2015; U.S. Department of Education, 2011). I use the term displacement, rather than decline, to signal the systemic and involuntary aspects of teachers’ departures from urban schools due to federal, state, and district school reforms, including school turnaround efforts. School turnarounds are interventionist school-level reforms tied to national high-stakes accountability policies that are intended to improve low-performing schools through top-down, prescriptive mandates. These reforms often fail to engage community members, parents, students, and teachers in reorganization plans and rely instead on mandatory school closures, mass layoffs, or charter conversions (Trujillo & Rénee, 2012; Trujillo, in press). They have been found to contribute to the racial segregation of some of our most struggling schools and communities (de la Torre & Gwynne, 2009a, 2009b; Journey for Justice, 2014; Lipman & Haines, 2007; Trujillo, in press). These reforms also result in large numbers of teachers being fired or removed from their jobs, particularly teachers of color who work disproportionately in schools serving low-income students and students of color (Buras, 2015; Frankenberg, 2009). In this vein, Black teacher displacement refers to an acute racialized impact of policies on Black educators in low-income communities (Cook & Dixson, 2013; Dixson, Buras & Jeffers, 2015; see also Mitchell, 2015 and Chicago Teachers
Show more

42 Read more

Estilos Motivacionais dos Professores de Ciências Contábeis

Estilos Motivacionais dos Professores de Ciências Contábeis

diversos itens são contestáveis em relação aos resultados preconizados pela teoria. Posteriormente, o estudo de Bzuneck e Guimarães (2007) reformulou o questionário, buscando determinar a fidedignidade e a validade dos itens do questionário. Assim, os autores desenvolveram novos itens com adaptações de variáveis inconsistentes do questionário original. Esses autores buscaram validar a escala dos estilos de motivação, além de identificar a preferência pelo uso de estratégias motivacionais de controle ou promoção de autonomia.
Show more

15 Read more

Professores de Língua Inglesa: Vilões ou Heróis?

Professores de Língua Inglesa: Vilões ou Heróis?

Não é possível que pensemos que ensinar uma língua estrangeira seja ensinar leitura e compreensão de textos, e o pior é que nem isso nossos professores conseguem ensinar direito. Vamos nos conscientizar da necessidade de mudanças, pois enquanto ficarmos fechados em nossas salas de pesquisa nas universidades, preocupados com questões que parecem ser mais importantes no que se refere ao ensino de língua inglesa nas escolas públicas, fatalmente ficaremos alienados em relação à dura realidade que nossos professores enfrentam todos os dias nas escolas.
Show more

11 Read more

Perspetivas de professores sobre TIC na educação: um estudo na perspetiva do TPACK - Technological Pedagogical Content Knowledge

Perspetivas de professores sobre TIC na educação: um estudo na perspetiva do TPACK - Technological Pedagogical Content Knowledge

Este estudo utilizou um questionário que não visava avaliar o domínio dos professores relativamente às diferentes dimensões do conhecimento que estão implícitas no TPACK mas sim procurar identificar, entre outros aspetos, a valoração que os professores fazem dos diferentes tipos de conhecimento em causa bem como o nível global e genérico de conhecimento/formação que possuem. Um estudo interessante a desenvolver no futuro passa pelo aperfeiçoamento e validação estatística do questionário desenvolvido. Um outro projeto importante seria a tradução e validação para o Brasil do questionário descrito em “Validación de la aplicación del modelo TPACK para la formación del profesorado en TIC (Cabero Almenara, Marín Díaz, V., e Castaño Garrido, 2015) e “Survey of preservice teachers' knowledge of teaching and technology” (Schmidt, Baran, Thompson, Koehler, Mishra, e Shin, 2009)” e que se foca mais na avaliação do nível de conhecimento dos professores relativamente às dimensões do conhecimentos envolvidos no TPACK.
Show more

148 Read more

Show all 10000 documents...

Related subjects